Blog do Tião Lucena

Blog do Tião Lucena

Postagens

  • Publicado por Tião Lucena em 22.07.2014


    Na Bahia, Só Hímen Intacto Permite a Entrada!


    1berto de Almeida
    DEU NO JORNAL: “Edital da Polícia Civil da Bahia exige a comprovação de virgindade para candidatas a delegada, escrivã e investigadora...”.
    E se esse concurso fosse por aqui, hein? Fosse esse Edital publicado na minha bela e amada Parahyba? Ah, seria para arrombar (desculpem, falando em hímen, arrobar não seria a melhor palavra) a Boca do Balão, para não dizer arrombar “dessa entrada”!
    O horário nobre global era pequeno para a notícia que seria mais noticia que a dessa última Copa do Mundo que não me bateu nem o passarinho! Parece que estou vendo a zona (Eu disse Zona? Disse). Sempre assim: se a noticia não é boa, o que sempre achei uma sacanagem das grandes para não dizer “discriminação”, ganha logo o espaço nobre.
    Mas, apesar do baiano achar que a terra dele é mais valiosa que aquela outrafamosa onde nasceu Jesus, vendendo-a como se fosse pedaços do Muro de Berlim, o “exame do dedo” não pegou nada bem. A coisa é seria, brinquem não. E a questão não está na cara nem no fundo... está no meio, por aí.
    Parece que estou vendo. Serão abertas muitas clínicas especializadas em Himenoplastia que, mesmo sem os donos roubando de madrugada, esses ficarão ricos do dia para noite. Ou vício e versos. Como?! Não sabem o que é esse palavrão? Então aprendam: himenoplastia é a cirurgia de reconstrução desse selinho de entrada chamado cientificamente de hímen.
    Poucos sabem, mas agora esse “selinho” será mais que um objeto nada obscuro do prazer da candidata em ser aprovada. E o curioso é que segundo o dicionário, sem brincadeira, hímen também é sinônimo de... Cabaço! Isso mesmo! A expressão popular “tirar o cabaço” tem o respaldo dos filologistas (meu Deus!).
    Mas e se a candidata mesmo aprovada nas provas (sic) mais difíceis for reprovada nesse “pequenino” problema? Ora, no caso os professores responsáveis pela avaliação do teste não poderão esquecer que esse “probleminha” pode ser resolvido, isto é, rompido num simples “entrar e sair” do dedo indicador ou outro escolhido pela candidata em suas noites frias e solitárias. E agora ?
    Por fim, para os muitos que não sabem, mesmo aqueles que dizem “já fui mulher, eu sei...”, um simples absorvente interno, um desses sujeitos metidos – epa! – e conhecido pela alcunha de “OB”, pode dar um “vai pra lá” nesse probleminha de nada. Eles complicam, falam difícil, e dizem que as candidatas terão de passar por "avaliação ginecológica detalhada, contendo os exames de colposcopia, citologia e microflora". Olhem aqui o dedinho! Nada disso! Não me venham como essa! Ainda bem que a minha OAB de lá, como também faria a minha se aqui fosse, entrou – epa! – nessa briga! Um puto constrangimento, sem dúvidas!
    Em Tempo: Mas, afinal, o que tem a ver o sul com as alças? Ah, e se fosse por aqui, hein?

  • Publicado por Tião Lucena em 21.07.2014


    Vital, Zé e Vené na festa da padroeira de Santana de Mangueira


    O candidato a governador da Paraíba pela Coligação Renovação de Verdade (PMDB-PT), senador Vital do Rêgo (PMDB) participou na noite deste domingo (20) da Festa de Santana, padroeira da cidade de Santana dos Garrotes. Ele estava acompanhado do candidato a senador da coligação, José Maranhão (PMDB), do candidato a deputado federal Veneziano Vital (PMDB) e do candidato a deputado estadual Nabor Wanderley (PMDB).

    Em Santana de Mangueira Vital foi recebido por diversas lideranças locais e teve a oportunidade de falar sobre o início da campanha. Ele disse estar muito satisfeito com as primeiras ações da coligação e, sobretudo, da receptividade do público às suas propostas. “O retorno das ruas é muito bom. As pessoas paravam os carros pedindo adesivos da nossa campanha”, lembrou ele, sobre as primeiras ações ocorridas em João Pessoa.

    Vital lembrou que ainda esta semana o material de campanha estará chegando a todo O estado, numa operação que vai envolver toda a estrutura da organização da campanha. O objetivo é levar as propostas do PMDB a todos os recantos do Estado, de forma a proporcionar aos paraibanos uma análise da proposta peemedebista logo no início do processo eleitoral.

  • Publicado por Tião Lucena em 21.07.2014


    PRE/PB representa Daniella Ribeiro e PP por propaganda antecipada


     Deputada estadual usou propaganda partidária para difundir atuação dela enquanto parlamentar

    A Procuradoria Regional Eleitoral na Paraíba (PRE/PI) ajuizou representação contra a deputada estadual Daniella Ribeiro e o Partido Progressista (PP) por propaganda eleitoral antecipada. Pede-se à Justiça Eleitoral a aplicação de multa mínima de R$ 5 mil e máxima de R$ 25 mil ou em valor equivalente ao custo da propagada, se for maior.
     Em abril de 2014, o PP veiculou propaganda partidária fora do regramento legal, quando a deputada estadual apareceu informando sobre sua atuação enquanto parlamentar, notadamente sobre um projeto de lei de autoria dela, de forma a divulgar trabalho individual e não aquele realizado pelo partido político.
    “É cristalina a letra da lei ao determinar que a propaganda partidária tem por finalidade divulgar assuntos de interesse das agremiações, e não divulgar projetos específicos de parlamentar ou enaltecer as suas realizações. O vídeo não deixa dúvida sobre a existência de propaganda eleitoral, na medida em que exalta lei estadual de autoria da deputada”, ressalta o procurador eleitoral auxiliar João Bernardo da Silva, que assina a representação.
     A PRE/PB destaca ainda que a propaganda partidária foi usada para apresentá-la como pré-candidata e uma “pessoa comprometida com os anseios do povo”, “defensora intransigente dos consumidores”, sendo a “mais capacitada para o desempenho do cargo de deputada”. Em nenhum momento, a propaganda partidária do PP tratou de assuntos para os quais ela foi prevista, em conformidade com o artigo 45, incisos de I a IV, da Lei nº 9.096/95 (que dispõe sobre Partidos Políticos).
     A representação foi ajuizada hoje, 21 de julho, perante o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB). Agora, os representados serão notificados para apresentar defesa em 48 horas. Logo após, a Justiça Eleitoral proferirá a decisão em 24 horas.
     * Íntegra da Representação por Propaganda Antecipada (link disponível emhttp://www.prpb.mpf.mp.br/news/pre-pb-representa-daniella-ribeiro-e-pp-por-propaganda-antecipada )

  • Publicado por Tião Lucena em 21.07.2014


    PPS aciona a justiça eleitoral para tomar o mandato do prefeito de Bananeiras, Douglas Lucena


    O prefeito Douglas Lucena, de Bananeiras, vai experimentar agora o sabor da democracia entre aspas do PPS, partido que substituiu o Pcebão no país e depois foi transformado em Popular Progressista pelo pseudo esquerdista Roberto Freire. Ao tomar conhecimento de sua decisão de deixar a sigla e se filiar ao PSB, o secretário geral do partido na Paraíba, Carlos Clayton, anunciou que vai ingressar com uma ação na justiça pedindo a cassação do mandato do prefeito, por considerar que o mandato é do PPS e não de Douglas.

    Carlos Clayton informou que a decisão de requerer o mandato atende a uma determinação da direção nacional do partido, que tomou conhecimento hoje da decisão do prefeito, e que não admite casos de infidelidade partidária.

    “O prefeito eleito pelo PPS sempre foi beneficiado pela legenda desde quando era vereador em Bananeiras, e agora está fugindo à ética por não seguir uma orientação partidária e ainda anuncia que vai deixar o partido. É válido destacar que o apoio à candidatura de Cássio foi referendado por quase a unanimidade dos filiados e dirigentes, uma prova de que o PPS é um partido democrático”, declarou o dirigente estadual.

    Carlos Clayton revelou, também, que o PPS cobrará do prefeito Douglas Lucena todas as contribuições partidárias que estão atrasadas. “Desde que assumimos a direção da agremiação na Paraíba, em novembro do ano passado, Douglas Lucena nunca colaborou com o crescimento da nossa sigla, sequer recolheu a contribuição que é estatutária, e sempre trabalhou pelo esfacelamento do PPS”, lamentou.

    A orientação do jurídico nacional do PPS enviada hoje à Secretaria Geral da Paraíba diz que a Legislação Eleitoral estabelece claramente que o mandato pertence ao partido e não ao candidato. “A resolução nº 22.610/2007, do Tribunal Superior Eleitoral, diz que o partido político tem o direito de pedir, perante a Justiça Eleitoral, a decretação da perda de cargo eletivo em decorrência de desfiliação partidária sem justa causa. É o caso do prefeito Douglas Lucena, que é um representante de um cargo eleito pelo PPS”, disse Carlos Clayton.
     
    Ele citou o caso do então prefeito de Caraúbas, Ademar Ferreira da Silva, que teve o mandato cassado, por unanimidade, pela Corte Eleitoral do Rio Grande do Norte, pela prática de infidelidade partidária.
     
    Carlos Clayton citou, ainda, que as deliberações nacionais do partido devem ser seguidas nos Estados, a exemplo  do entendimento do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Dias Toffoli, que vetou a entrada da deputada distrital Eliana Pedrosa (PPS) como vice na chapa do ex-governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, devido à decisão da direção nacional da legenda de desautorizar o acordo negociado pela parlamentar.

  • Publicado por Tião Lucena em 21.07.2014


    Aracilba oficializa rompimento com Ricardo e adesão a Cássio Cunha Lima


    Como o Blog antecipara logo ao nascer do sol, a ex-secretária Aracilba Rocha anunciou às 11 horas, na API, sua adesão ao senador Cássio Cunha Lima. Para justificar a mudança de lado, Aracilba disse que depois de lançar sua candidatura a deputada estadual, passou a ser perseguida, tiraram o couro dela e jogaram-na ao mar em carne viva. Foi então que passou o barco do senador Cássio e nele ela se segurou para não morrer afogada,toda salgada e sem couro. O candidato Cássio Cunha Lima prestigiou a entrevista da ex-secretária e disse, em discurso, que Aracilba é a última liderança que compunha o comando da campanha de 2010 pela eleição do atual governador,a abandonar o barco governista.

  • Publicado por Tião Lucena em 21.07.2014


    Prefeito,vice e oito vereadores de Areia declaram apoio à reeleição de Ricardo Coutinho


    O candidato à reeleição ao Governo do Estado, Ricardo Coutinho, da coligação “A Força do Trabalho”, conquistou neste final de semana mais apoio de lideranças políticas na cidade de Areia. Declararam que votarão no socialista, o vice-prefeito André Perazzo (PPS) e o vereador Betinho do Boa Vista (PSDB). Também já apoiam Ricardo o prefeito de Areia Paulo Gomes (PRB) e outros sete vereadores. O governador agradeceu as adesões e o carinho de populares.

    Na companhia do candidato a senador Lucélio Cartaxo, do deputado federal Damião Feliciano, do prefeito de Areia, Paulo Gomes, do vice André Perazzo, do deputado estadual Tião Gomes e vários vereadores, Ricardo Coutinho foi bastante cumprimentado por populares ao caminhar no meio da multidão que assistia ao show do cantor e compositor pernambucano Geraldo Azevedo, na última noite do Festival de Artes de Areia. Muitos areienses fizeram questão de ser fotografados com o candidato à reeleição da coligação A Força do Trabalho.

    O vice-prefeito André Perazzo, afirmou que o eleitor paraibano consciente vota em quem trabalha por Areia e por toda a Paraíba. “O melhor para Areia a gente já decidiu, é Ricardo Coutinho. O que vale é trabalho e não boniteza e beijo-beijo. A maioria dos votos aqui é do governador Ricardo e Areia recebeu ele hoje no Festival de Artes com o calor humano de 40 graus nesse frio acolhedor de nossa cidade”, declarou André.

    O vereador Betinho do Boa Vista (PSDB), justificou porque votará em Ricardo Coutinho: “Eu vejo que o governador está trabalhando como ninguém pela Paraíba. Estou aderindo pelo povo paraibano que tem recebido muitos benefícios em Areia e toda região do Estado”.

    O prefeito de Areia, Paulo Gomes, avaliou que a ótima receptividade que o povo da cidade ofereceu a Ricardo simboliza o reconhecimento de seu amplo trabalho e estilo diferente de governar com a população sendo ouvida, dialogando com o governador.

    O deputado federal Damião Feliciano (PDT), disse que a exemplo de Areia, por onde Ricardo Coutinho anda a população está oferecendo manifestações positivas e isto é fundamental para a vitória. Damião destacou a visão de Ricardo em prestigiar a mulher paraibana convidando a médica e sua esposa Lígia Feliciano para compor a chapa proporcional como vice-governadora.

    Por fim, o deputado estadual Tião Gomes (PSL), grande líder político da região de Areia, disse que nunca um governo fez tanto por Areia e que a cidade cresceu nesses últimos três anos e meio mais do que toda a sua história. “Hoje comemoramos as adesões do vice-prefeito André e do vereador Betinho que vêm se juntar à comitiva do trabalho, se unir àquele que faz e que não promete, realiza”, declarou.

  • Publicado por Tião Lucena em 21.07.2014


    Senador Cicero Lucena se despede da vida pública


    O senador Cicero Lucena se despediu da vida pública hoje. Em nota publicada no Facebook, o senador explicou osmotivos de sua despedida, disse que foi traído pelos atuais comandantes do PSDB e não tinha como continuar na vida pública.No plano nacional,ele continua engajado a campanha de Aécio Neves. Leia a nota do senador:

    21 de julho de 2014 às 12:26
    AOS PARAIBANOS

    Na vida pessoal, e desde muito cedo, aprendi que não se deve invocar o nome de Deus em vão. Na minha vida pública, tive sempre a clareza de não fazê-lo para avaliar comportamentos humanos, nem muito menos julgá-los. Mas, eis que neste momento peço permissão aos amigos e à opinião púbica do meu Estado para recorrer a uma citação bíblica: “Tudo tem o seu tempo determinado e há tempo para todo o propósito debaixo do céu”.

    Hoje, passada esta primeira fase do processo eleitoral paraibano de 2014, em que os partidos escolheram seus candidatos para a eleição de outubro vindouro, é chegado o meu tempo de falar.

    Devo fazê-lo com a serenidade que, graças a Deus, sempre me acompanhou; com a honestidade de propósitos que nunca deixou de comandar as minhas ações. E, finalmente, com a lealdade que dediquei, nos bons e maus momentos, aos correligionários, aos amigos, aos adversários e, sobretudo, ao povo da Paraíba.

    Fui vice-governador, governador, ministro de Estado, secretário de Estado, prefeito de João Pessoa e estou concluindo o mandato de senador da República, cargo para o qual fui escolhido pela vontade livre de 803.600 paraibanos, aos quais sou eternamente grato. Tenho a exata dimensão do quanto todos esses cargos são passageiros. Afinal, o que fica, o que vale, e o que nos fortalece enquanto cidadãos, são as nossas ações, as nossas práticas.

    Entrei na política, em 1990, pelas mãos honradas do meu saudoso amigo e irmão Ronaldo Cunha Lima, que entre outras coisas me ensinou: “Política se faz como sacerdócio, não como negócio”.

    Este ano, pleiteei legitimamente disputar a reeleição para o Senado. Pelo que estabelece a tradição política do nosso país, era candidato-nato. Mas o meu nome não constará da cédula eleitoral. Na urna eletrônica, não estarei nem com a foto nem com as minhas ideias em defesa de dias melhores para a Paraíba e pelo Brasil.

    Não tenho como deixar de enfrentar a pergunta que muitos se fazem e que, acreditem, eu também faço: por que não tive o direito de tentar a reeleição? Por que o meu partido, o PSDB da Paraíba, ao qual tanto me dediquei, não reconheceu como legítimo um direito que me havia sido conferido por quase 50 por cento do eleitorado?

    Durante todo este processo eleitoral, que começou em outubro do ano passado, ofereci várias soluções que viabilizavam a indicação do meu nome na disputa pelo Senado. Abri caminhos e conversas preliminares para a formação de novas alianças, preocupei-me em garantir maior tempo de propaganda para o partido no guia eleitoral e, por fim, articulei entendimentos que ajudariam numa boa composição da chapa majoritária. Nada disso foi suficiente. O desejo deliberado de me tirar do processo falou mais alto.

    Por várias vezes, surpreendi-me com as informações de bastidores dando conta de que os detentores do comando partidário negociavam com outros políticos paraibanos a indicação para a disputa pelo Senado. Vi se repetir, agora, o que já ocorrera em 2010, quando fui preterido da legítima postulação ao Governo em nome de uma aliança que hoje a Paraíba inteira sabe no que resultou, e quem tinha razão.

    Coerente com a minha história pessoal, que a trajetória política confirma, fui leal o tempo todo. Fui sincero, honesto e transparente. Em nome do partido e da amizade, conciliei conflitos e aparei arestas... Inúmeras arestas. Não foi o que recebi de volta.

    No último dia 29 de junho, o PSDB da Paraíba reuniu-se em convenção e indicou os candidatos majoritários e proporcionais. Uma chapa foi composta à minha revelia, sem que meu nome pudesse ser apresentado aos convencionais. É difícil compreender que as coisas tenham chegado a este ponto, mas chegaram.

    A esta altura, renovando os agradecimentos aos meus familiares, sempre solidários ao longo tempo; aos meus verdadeiros e fiéis amigos que se revelam no olhar e nos gestos; e, finalmente, a todos os paraibanos que reconhecem a minha postura honrada em todo este episódio, devo informar que estou me afastando da atividade política na Paraíba. Não concordo e não comungo com os procedimentos e as práticas que a contaminaram. Como nunca exerci o poder meramente pelo poder, não há prova maior de desapego que esta de não disputar qualquer mandato eletivo nestas eleições.

    Deixo claro que minha decisão é hoje, e sempre será, de respeito a quaisquer das opções que, de forma livre e legítima, serão abraçadas por familiares, amigos e correligionários no atual processo eleitoral do Estado.

    No plano nacional, gostaria de me dirigir àqueles que possam considerar um pedido: vou caminhar com Aécio Neves, que representa hoje a esperança de um Brasil melhor.

    Como diz o Eclesiastes, “tudo tem o seu tempo determinado”. Tempo de falar e tempo de ficar calado.

    Mas, sobretudo, sempre haverá tempo para os bons propósitos.

    Para quem tem Deus, nunca é tarde pra recomeçar.

    João Pessoa, 21 de julho de 2014
    Senador Cícero Lucena

  • Publicado por Tião Lucena em 21.07.2014


    Cássio promete um concurso por ano para a Polícia


    O senador Cássio Cunha Lima, candidato da Coligação ‘A Vontade do Povo’ ao governo do Estado, anunciou na manhã desta segunda-feira que, se for eleito governador, vai fazer concurso para as polícias Civil e Militar a cada ano. Ele foi o entrevistado da Nova Tambaú FM, em João Pessoa, no programa Tambaú Debate, comandado pelos jornalistas Josival Pereira e Cláudia Carvalho.

    Segundo Cássio, a Paraíba vive um momento muito difícil no que se refere à segurança pública, já que o atual governo desconhece a gravidade da presente situação no Estado. “A segurança pública é um problema grave, mas o governo faz de conta que ele não existe, faz ‘cara de paisagem’ e é aí que mora a gravidade da situação”, lamentou o senador candidato.

    Em sua explanação, Cássio destacou que equipamentos – a exemplo de armamentos, munição e coletes – não existe maiores dificuldades em se comprar. “Mas não se compra policiais no mercado. Você tem de formá-los”, pontificou, ressaltando que terá atenção especial, como sempre, em relação à política de recursos humanos da área de segurança pública.

    Situação grave

    Durante a entrevista, Cássio garantiu dispor de dados que mostram uma situação muito grave na Paraíba, onde o contingente de policiais, hoje, é muito menor do que há quatro anos. “O governo passou quatro anos empurrando o problema com a barriga e, só agora, faz um concurso para a PM com apenas 600 vagas e assim mesmo em ano eleitoral”, denunciou.

    Cássio voltou as alfinetar o governador Ricardo Coutinho (PSB) e disse que sua gestão, em vez de ser “algodão entre cristais” é “gasolina em incêndio”, pois não investe na conciliação e sim no conflito. O senador garantiu que, se eleito, vai trabalhar para reconciliar a Paraíba e restabelecer o diálogo com todas as categorias que servem à população paraibana.

    “Segurança pública não se faz com propaganda, como age o atual governo, e sim com ações para trazer de volta à população o sentimento de paz e tranqüilidade”, argumentou o senador Cássio Cunha Lima, na entrevista à Rádio Tambaú.

    Para o senador, a população paraibana está assustada com o que está acontecendo no Estado no plano da segurança pública. “Eu tenho andado pelo Estado, tenho visitado os municípios, e escuto as queixas da população. A situação é muito grave”, alertou o senador.
     


1 2 3 4 5 6





Perfil do Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá. Nos três primeiros desempenhou as funções de repórter, editor político, editor do interior, chefe de reportagem e secretário de redação. Também foi vice-presidente da API e diretor do Sindicato dos Jornalistas. Cansou de trabalhar em jornais, cansou de patrões e resolveu criar um espaço somente seu na internet, onde pretende fazer um jornalismo sem cabresto e sem censura.

Publicidade

Entrevista

"O jornalismo atual perdeu a compostura"

Frutuoso Chaves

Entrevista com: Frutuoso Chaves

Usuários Online

No momento temos lendo este blog. No total, 15313329 pessoas visitaram esta página.

 

Coluna do Tião

Nos tempos de jornal (65)

Nos tempos de jornal (65)

Clima

 

Coluna do Chico Pinto

 A URUCUBACA DOS VICES

A URUCUBACA DOS VICES

Enquete

 

Rádio Online

Subir

tiaolucena@gmail.com

Tião Lucena - Todos os Direitos reservados